+55 (62) 3091-8010 | contato@aser.com.br

7 estatísticas de Segurança da Informação que precisam ser acompanhadas

7 estatísticas de Segurança da Informação que precisam ser acompanhadas
Tempo de Leitura 3 Minutos

7 estatísticas de Segurança da Informação que precisam ser acompanhadas

A Segurança da Informação é um tema importante quando o assunto é gestão de negócios e os fatores que se relacionam e impactam essa área devem estar no radar dos gestores. Por ser uma parte estratégica, estar bem informado sobre o que acontece em corporações do Brasil e do mundo pode ser um grande diferencial competitivo. 

Para ajudar e atualizar você sobre dados importantes desse segmento, listamos nove estatísticas de Segurança da Informação essenciais para proteger a sua empresa. Confira.

1. Número de ciberataques no Brasil

Os últimos anos foram marcados por crises (econômica e sanitária) e esse cenário instável resultou em um aumento no número de ataques cibernéticos pelo mundo inteiro, inclusive no Brasil. De acordo com a pesquisa da Fortinet Threat Intelligence Insider Latin America, o Brasil respondeu por 17% das 20 bilhões de tentativas de ataques cibernéticos, de janeiro a setembro de 2020, em toda a América Latina e Caribe. Isso equivale a 3,4 bilhões de tentativas de ataques cibernéticos.

2. Gastos da empresa com segurança digital 

Os impactos econômicos em virtude da pandemia da covid-19 afetaram as projeções de investimento em segurança cibernética em 2020, aponta estudo da GlobalData. No entanto, com a virada do ano e o reaquecimento do mercado, os investimentos voltarão. Estima-se que os recursos em cibersegurança devam mais que dobrar ao longo da próxima década, chegando a US$ 238 bilhões (quase R$1,3 bilhão), em 2030.

3. Capacitação das equipes para lidarem com riscos e ameaças de cibersegurança 

Com a exponencial vulnerabilidade e aumento das ameaças, a cibersegurança se tornou uma prioridade dentro das organizações, uma tendência que deve se fortalecer em 2021. O Relatório sobre o estado da Segurança de Dados de 2020 da GetApp mostrou que, em 2020, 17% das empresas passaram a usar Realidade Virtual e Aumentada para fins de treinamento, contra apenas 6% em 2019. 

4. Adequação das empresas à LGPD

A Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) já está em vigor e muitas corporações que coletam, armazenam, fazem o tratamento e compartilham dados pessoais ainda caminham para uma adequação total e apropriada. Segundo um relatório dinâmico extraído da ferramenta Diagnóstico LGPD, apenas 38% das empresas brasileiras demonstraram, em março de 2020, estar de acordo com as exigências feitas pela nova lei.

Diagnóstico de SegurançaDiagnóstico de Segurança

5. Principais ameaças virtuais 

Todos os dias, novas ameaças são descobertas e os prejuízos que elas ocasionam ilustram boa parte das estatísticas de Segurança da Informação. A Eset listou as principais ameaças que colocaram em risco usuários e corporações em 2020:

  • O spywarer: também conhecido como software espião, ataca computadores ou dispositivos móveis para coletar informações.
  • O phishing: prática que visa roubar dados cadastrais de clientes por meio de mensagens iscas, geralmente por e-mail.
  • O ransomware: que, ao infectar um computador, criptografa todos os dados do HD, impedindo o acesso aos arquivos. 
  • O trojan: popularmente conhecido como cavalo de troia, um software que se passa por um programa legítimo, simulando alguma funcionalidade útil.
  • E ataques ao serviço RDP (Remote Desktop Protocol): que permite o acesso remoto à área de trabalho.

6. Principais formas de violação de dados 

A IBM Security, no Cost of Data Breach 2020, examinou o impacto financeiro das violações de dados e revelou que o custo de uma violação fica em torno de US$ 3,8 milhões para as companhias. Ao analisar as violações de dados sofridas, 80% resultaram na exposição das informações de identificação pessoal de clientes (PII).

7. Capacidade de adaptação das empresas ao home office

A chegada do novo coronavírus levou ao isolamento social, o que trouxe a necessidade da instauração, repentina, do home office pelas empresas. De acordo com a Pesquisa Gestão de Pessoas na Crise Covid-19, 46% das empresas já haviam adotado o home office em abril de 2020, por conta da pandemia, e 41% dos funcionários entraram no regime de teletrabalho.

Diante de tantos impactos e variantes, você precisa contar com soluções para um monitoramento eficiente e redução de riscos. Acesse o site da Aser para conhecer nossas soluções e continuar acompanhando estatísticas de Segurança da Informação.