+55 (62) 3091-8010 | contato@aser.com.br

Segurança cibernética no varejo: como proteger os dados da sua loja

Segurança cibernética no varejo: como proteger os dados da sua loja
Tempo de Leitura 3 Minutos

Segurança cibernética no varejo: como proteger os dados da sua loja

Segurança cibernética é assunto sério e o crescente número de ciberataques contra empresas do segmento de varejo mostra que está na hora desse tipo de negócio aperfeiçoar suas soluções de segurança e proteção de dados. Caso contrário, as perdas para esse mercado causadas por falhas e ações de cibercriminosos não recuaram.

Para ajudar você a melhorar a infraestrutura de Segurança da Informação do seu negócio, neste texto falamos sobre a importância da cibersegurança para empresas varejistas e listamos algumas boas práticas que podem ser adotadas. Continue a leitura!

A importância da segurança cibernética no segmento de varejo

Segundo a SBVC (Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo), o setor de varejo representou 20,25% do PIB do país em 2018. E segundo a consultoria Empresômetro, empresa de inteligência de mercado associada ao IBPT (Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação), existem hoje no Brasil mais de 4,8 milhões de empresas de varejo.

Assim, quando falamos no segmento varejistas estamos falando de milhares de empresas que movimentam anualmente valores bilionários, em lojas físicas e também virtuais. E que detêm um grande volume de informações de crédito de clientes. Justamente por isso, essas empresas chamam a atenção dos criminosos digitais.

Talvez você se lembre de um caso emblemático sobre os riscos a que as empresas varejistas estão expostas: a C&A, umas das maiores redes varejistas do Brasil, em 2018, teve seu sistema de compra, bloqueio e extrato do “Cartão Presente” invadido por hackers. Na ação foram expostas milhares de informações sensíveis de clientes, incluindo número do cartão, CPF, e-mail, valor adquirido como presente, e-mail do funcionário que fez a transação, número do pedido e data da compra.

Fatos como esse mancham a reputação da empresa no mercado, afastam clientes e trazem grande prejuízo. Por isso, o segmento de varejo não pode descuidar da segurança cibernética e, como as instituições financeiras, deve apostar em boas práticas que aumentem a proteção dos dados e a segurança de seus sistemas.

Quer saber mais sobre cibercrimes? Confira nosso artigo “Crimes na internet: entenda os riscos a que sua empresa está exposta”.

Boas práticas de segurança cibernética que devem ser adotadas pela sua empresa

Diante dos riscos de ataques de cibercriminosos é fundamental que as empresas varejistas adotem boas práticas de cibersegurança para tornar seus sistemas menos vulneráveis e mitigar riscos de um ataque bem sucedido. Algumas dessas boas práticas nós relacionamos abaixo:


Usar SD- WAN

Sigla para Software-Defined Wide Area Network, a SD-WAN é uma abordagem de gestão de WANs feita por software. Essa tecnologia permite controlar o tráfego de dados e criar sobreposições virtuais que tornam possível a conectividade na rede de longa distância.

Seu uso, além de outras vantagens, é de grande utilidade para as redes de varejo que controlam filiais em todo o país. A SD-WAN é ótima opção para uso em locais pouco digitalizados e com diferentes custos de links de rede. Ao utilizar essa tecnologia, o resultado é um ambiente muito mais estável e seguro.

Para saber mais sobre a tecnologia SD-WAN, confira nosso artigo “Como a SD-WAN pode transformar a rede de uma empresa”. 

Investir em criptografia

A criptografia é uma forma de transformar uma informação legível em ilegível e, assim, manter seu conteúdo em segredo. Quando aplicada a dados, a criptografia pega as informações e utiliza um algoritmo para embaralha-las, por meio de regras de computação e cálculos matemáticos complexos.

O processo só pode ser revertido com a inserção de uma chave exclusiva para aquele uso, sem a possibilidade de cópia, assim o sistema se torna tão seguro que, em caso de invasão, as informações não podem ser compreendidas pelos criminosos.

No varejo, é uma ótima ideia recorrer à criptografia de dados, que pode ser feita com a utilização de uma rede virtual privada (também conhecida como VPN), que utiliza a internet para conectar um grupo de computadores, aumentando a segurança na comunicação de informações do negócio, principalmente quando há colaboradores trabalhando em ambiente externo à empresa.

Saiba mais sobre o uso de rede virtual privada no nosso artigo “VPN segura: como criar uma rede privada para sua empresa”. 

Ajustar os processos do negócio à LGPD

Dentro de alguns meses entrará em vigor a LGPD, a Lei Geral de Proteção de Dados, e com suas multas e penalidades, a segurança cibernética das empresas ganha um novo peso.

Assim, se torna fundamental buscar ajuda de parceiros especializados em Segurança da Informação que possam detectar e eliminar as vulnerabilidades do sistema e dos procedimentos internos de tratamento dos dados pessoais para mitigar os riscos de vazamentos. 

Você pode saber mais sobre a LGPD e as consequências de descumprir suas regras em nosso artigo “Multas LGPD: como evitar prejuízos pelo vazamentos de informações de clientes”.

Como você pode notar, pensar na segurança cibernética da sua empresa de varejo é uma necessidade. E se você quer saber mais sobre o assunto, fale com Aser!

Desde 2004 nossa empresa atua na área de Segurança da Informação e temos soluções pensadas para atender às necessidades de SI do seu negócio. Conheça nossos serviços acessando nosso site.