+55 (62) 3091-8010 | contato@aser.com.br

Cibercrimes: o que fazer se a sua empresa for atacada

Cibercrimes: o que fazer se a sua empresa for atacada
Tempo de Leitura 3 Minutos

Cibercrimes: o que fazer se a sua empresa for atacada

Já imaginou sua empresa ser atacada por cibercriminosos e ter todos os sistemas invadidos e os dados vazados? O que você faria em uma situação como essa? Acha que o seu negócio está preparado para reagir a cibercrimes?

As crescentes ameaças de ataques hackers e de outros crimes contra a segurança cibernética das empresas é um desafio com o qual todos os donos de negócios e gestores de TI precisam lidar no cenário atual. Por isso, neste artigo nós reunimos dicas que ajudam a preparar a sua empresa para agir no caso de ser vítima de crimes digitais. Confira e proteja seus sistemas, seus dados e seu patrimônio.

O que é considerado um cibercrime

Segundo a legislação, cibercrime é qualquer atividade ou prática ilícita realizada na internet. São exemplos de crime digital:

  • invasões de sistema
  • disseminação de vírus
  • roubo ou sequestro de dados pessoais
  • uso de identidade falsa
  • acesso indevido a informações confidenciais

Além dos ilícitos listados acima, também são considerados cibercrimes crimes convencionais realizados por meio de dispositivos eletrônicos ou que incluam a utilização de alguma ação ou instrumento digital.

E é importante considerar que uma das principais características dos crimes cibernéticos é a transnacionalidade das práticas e ações, o que dificulta as investigações e a punição dos criminosos.

Quais são as consequências de ser vítima de um crime digital

Talvez você imagine que sua empresa dificilmente será vítima de um cibercrime, mas essa é uma percepção equivocada. Segundo relatório publicado em 2019 pela Symantec, o Brasil ocupa o terceiro lugar na lista de maiores alvos de ataques a objetos conectados, ficando atrás somente da China e dos Estados Unidos.

E quando uma empresa é vítima de um crime digital, ela pode sofrer grandes perdas. Ataques virtuais podem, além de abalar a confiança do mercado na marca, gerar multas por descumprimento da legislação vigente e levar clientes a moverem processos contra o negócio.

Estima-se que só no ano de 2019 os prejuízos financeiros das empresas com crimes virtuais tenham chegado a US$ 2 trilhões em todo o mundo.

Como proteger a empresa de crimes cibernéticos 

Para evitar a ocorrência de cibercrimes na sua empresa é importante adotar boas práticas de Segurança da Informação que aumentam os níveis de proteção à rede e aos dados do negócio. Dentre essas boas práticas estão: 


  • uso de antivírus e firewalls
  • controle de acesso
  • atualização contínua de firmwares e softwares
  • uso de criptografia 
  • realização de pentest
  • análise de vulnerabilidade
  • contratação de uma empresa especializada em Cibersegurança, que tenha à disposição um time de resposta a incidentes.

Como agir se minha empresa for atacada

Não há dúvidas que o melhor a fazer quando se trata de cibersegurança é adotar práticas de prevenção que protejam os sistemas e os dados das empresas. Mas a verdade é que nenhuma rede corporativa está 100% segura de ataques de cibercriminosos. Então, se a sua empresa for vítima de um cibercrime, é preciso manter a calma e seguir os seguintes passos:

Informe a área responsável por cibercrimes

A primeira coisa a fazer diante de um ataque cibernético é acionar a área ou o profissional responsável pela cibersegurança da empresa. E se a sua empresa não conta com um deles, isso é um erro que aumenta a vulnerabilidade do seu negócio aos ataques de cibercriminosos. 

Ter à disposição da sua empresa um SOC (Security Operations Center) é fundamental para mitigar as consequências de um cibercrime. Isso porque os profissionais do SOC são especialistas em ações de resposta a incidentes e sabem quais as melhores formas de minimizar os impactos de um crime digital contra a sua empresa.

Identifique a origem do ataque

Se um cibercrime foi realizado com êxito contra sua empresa é porque houve alguma falha humana ou algum erro no sistema. E é preciso descobrir qual falha ou erro foi esse: o clique em um link malicioso, a conexão de um dispositivo contaminado, a falta de atualização de um aplicativo, o não uso de firewall… São muitas as possibilidades.

Os profissionais responsáveis pela cibersegurança do seu negócio devem identificar a falha e agir para eliminá-la, evitando que outros ciberataques atinjam seu sistema, colocando seus dados em risco.

Faça varreduras e utilize antivírus 

Fazer varredura do sistema e utilizar antivírus estão entre as principais práticas para tratar e evitar que sua empresa seja vítima de um cibercrime. 

É fundamental também ter um plano de resposta a incidentes cibernéticos. Esse documento será o guia para que os profissionais de SI e TI da sua empresa saibam como agir caso o negócio seja alvo de ciberataques e crimes digitais.

Esperamos que nossas dicas ajudem você a preparar sua empresa para lidar com cibercrimes. E se você quiser saber mais sobre como proteger seu sistema, seus dados e o seu patrimônio, siga a Aser no LinkedIn e acompanhe nossas publicações.